Gosto imenso de chuva e dias cinzentos. Como disse uma vez à minha melhor amiga são dias em que me sinto num pedaço de eternidade misterioso e inescrutável. Isto, além de os achar muito românticos, nostálgicos e repletos de convites a actividades mais preguiçosas. O meu marido também os aprecia, pelo aconchego e calma que proporcionam. O Flecha e o Himalaias parecem desfrutar tanto destes dias como nós, dormem tranquilos, envoltos num sono profundo e aninhados nas suas núvens de algodão e tecido cosido.

Ao observar o Himalaias durante o seu descanso, não consegui evitar pensar nas circunstâncias em que se encontrava antes de se tornar parte da nossa família. Segundo o veterinário que o viu quando o encontrei, o Himalaias tem pelo menos 1 ano e meio. Não se sabe se alguma vez teve um dono, uma família, um lar, um refúgio ou um abrigo sequer. Imagino-o a passar o Inverno do ano anterior ao frio, à chuva e à fome e o meu coração congela. Ao olhar para ele tão descansado e feliz, o meu coração aquece novamente e um sorriso desponta nos meus lábios. Que bom o Himalaias estar feliz, são e salvo. Penso também no Flecha e na felicidade que é ele não ter tido de passar pelas mesmas dificuldades.

Sorrio novamente e desta vez imagino os dias de chuva futuros em que estaremos juntos a desfrutar não apenas desses dias mas da companhia uns dos outros.

Anúncios